Ciatalgia

Patologias

O que é?

Muito conhecida como dor ciática ou nervo ciático, a ciatalgia não é uma patologia, propriamente dita e, sim, um sintoma, pois trata-se de uma dor que pode estar associada a outras patologias – neste caso, na trajetória do nervo ciático, o qual é formado por algumas raízes nervosas que saem da coluna pela região lombar e sacral. Ele é o maior nervo do nosso organismo e é responsável pela maior parte da sensibilidade e força da perna e do pé.

Causa(s)

Qualquer problema que gere inflamação perto do nervo ciático causa a ciatalgia. A hérnia de disco lombar, principalmente entre L4-L5 (entre a quarta e quinta vértebras lombares) e L5-S1 (entre a última vértebra lombar e a primeira sacral), é uma das principais causas.

Muitas pessoas acreditam que é a compressão do nervo pela hérnia que provoca a dor. Na verdade, a compressão de um nervo gera mais formigamento e fraqueza. Basta lembrar quando a gente dorme sobre o braço e acorda com ele amortecido, sem força e sem dor. Isso acontece porque o nervo foi comprimido. Agora, o problema da hérnia de disco é que ela resulta numa importante inflamação perto do nervo e isso é o motivo da dor intensa.

Outra causa de ciatalgia é a síndrome do músculo piriforme. O nervo ciático se forma na saída da coluna, passa por dentro da bacia e sai para a perna entre dois músculos, sendo um deles o piriforme. Algumas vezes, esse músculo inflama e gera a dor.

Sinais e sintomas

A dor na região inervada pelo nervo ciático é o principal sintoma. Na maioria das vezes, não é todo o nervo acometido e sim, parte dele. Isso acontece porque muitas vezes o problema está no disco intervertebral que acaba inflamando uma ou duas raízes do nervo e a dor é concentrada em uma área específica da perna ou pé, que chamamos de dermátomo. O paciente queixa-se de uma dor irradiada para a perna, “como se fosse por dentro do osso”, associada a choque, agulhada, queimação, sensação de frio doloroso, formigamento, amortecimento, comichão ou diminuição da sensibilidade ao toque. Esses são os parâmetros que utilizamos para definir o tipo da dor como neuropática (dor do nervo). Mas vale lembrar que a dor depende de cada caso, de como o paciente sente e como ele traduz essa dor.

Os sinais examinados, os quais podem estar associados à ciatalgia, são as alterações da sensibilidade, da força e dos reflexos. Outro sinal é o teste de Lasègue, no qual o médico estende a perna do paciente deitado, partindo de uma posição de flexão do quadril e joelho e o paciente refere a ciatalgia.

Como diagnosticar?

O diagnóstico é clínico e devemos procurar a causa da ciatalgia. Na suspeita de hérnia de disco com uma dor persistente ou alteração neurológica, a Ressonância Nuclear Magnética (RNM) é indicada.

Tratamento

O tratamento da dor deve incluir medicamentos, respeitando a escada analgésica proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Dessa forma, o tratamento é iniciado com analgésicos não opioides e anti-inflamatórios (devem ser usados com cautela, em casos selecionados de dor aguda) e, dependendo da intensidade, acrescentamos opioides fracos (tramadol, codeína) ou fortes (oxicodona, metadona, morfina). Além disso, associamos medicamentos mais específicos para a dor neuropática.

O tratamento também deve ser voltado para a causa da dor, sendo clínico em mais de 90% dos casos. Muitas vezes, podem ser feitas infiltrações na coluna, com o objetivo de aliviar mais rápido a dor da pessoa e facilitar sua reabilitação e retorno as atividades cotidianas, normalmente.

Cirurgia

No caso de hérnia de disco, a cirurgia é reservada para situações em que a dor é refratária ao tratamento clínico ou quando há uma alteração neurológica importante (diminuição de força). Para saber mais sobre esse tema, clique aqui.

Fonte: www.alexandrejaccard.com.br / Dr. Alexandre P. Boss Jaccard – CRM PR 27412 / CRM SP 116.476